Restore com pg_restore - raio-x

<< Click to Display Table of Contents >>

Navigation:  PostgreSQL > Manutenção > Backup e Restore >

Restore com pg_restore - raio-x

Previous pageReturn to chapter overviewNext page

pg_restore --  restaura um banco de dados do PostgreSQL a partir de um arquivo gerado pelo pg_dump

 

Synopsis

 

pg_restore [ -a ] [ -c ] [ -C ] [ -d nome_bd ] [ -f arquivo_de_saída ] [ -F formato ] [ -i índice ] 

           [ -l ] [ -L arquivo_da_listagem ] [ -N | -o | -r ] [ -O ] [ -P nome_da_função ] [ -R ] 

           [ -s ] [ -S ] [ -t tabela ] [ -T gatilho ] [ -v ] [ -x ] [ -X palavra_chave] [ -h hospedeiro ] 

           [ -p porta ] [ -U nome_do_usuário ] [ -W ] [ arquivo_de_exportação ]

 

Descrição:

 

O pg_restore é um utilitário para restaurar um banco de dados do PostgreSQL a partir de um arquivo gerado pelo pg_dump em um dos formatos não-texto-puro. São executados os comandos necessários para criar novamente todos os tipos, funções, tabelas, índices, agregações e operadores definidos pelo usuário, assim como os dados das tabelas.

 

Os arquivos de exportação contêm informações para o pg_restore reconstruir o banco de dados, mas também permitem ao pg_restore selecionar o que deve ser restaurado, ou mesmo reordenar a restauraração dos itens. Os arquivos de exportação são projetados para serem portáveis entre arquiteturas.

 

O pg_restore pode operar de dois modos: Se um nome de banco de dados for especificado, o arquivo de exportação é restaurado diretamente no banco de dados. Senão, um script contendo os comandos SQL necessários para reconstruir o banco de dados é criado (e escrito em um arquivo ou na saída padrão), semelhante aos scripts criados pelo pg_dump no formato texto-puro. Algumas das opções que controlam a criação do script são, portanto, análogas às opções do pg_dump.

 

Obviamente, o pg_restore não pode restaurar informações que não estejam presentes no arquivo de exportação; por exemplo, se o arquivo de exportação foi gerado usando a opção "exportar dados como INSERT", o pg_restore não poderá importar os dados usando o comando COPY.

Opções

 

O pg_restore aceita os seguintes argumentos de linha de comando (As formas longas das opções estão disponíveis em algumas plataformas apenas).

 

nome_do_arquivo_exportado

   Especifica a localização do arquivo de exportação a ser restaurado. Se não for especificado, a entrada padrão é usada.

 

-a

   Importa somente os dados, não o esquema (definições dos dados).

 

-c

   Exclui (drop) os objetos do banco de dados antes de criá-los..

 

-C

   Cria o banco de dados antes de restaurá-lo (Quando esta opção está presente, o banco de dados designado por -d é usado apenas para executar o comando CREATE DATABASE inicial. Todos os dados são restaurados no banco de dados cujo nome aparece no arquivo de exportação).

 

-d nome_bd

   Conecta ao nome_bd e restaura diretamente no banco de dados. Os objetos grandes somente podem ser restaurados usando uma conexão direta ao banco de dados.

 

-f arquivo_de_saída

   Especifica o nome do arquivo contendo o script gerado, ou a listagem quando for utilizado com a opção -l. Por padrão a saída padrão.

 

-F formato

   Especifica o formato do arquivo de exportação. Não é necessário especificar o formato, porque o pg_restore reconhece o formato automaticamente. Se for especificado, poderá ser um dos seguintes:

 

t

       O arquivo de exportação está no formato tar. Este formato de arquivo de exportação permite reordenar e/ou excluir elementos do esquema durante a importação. Também permite limitar quais dados são recarregados durante a importação.

 

c

       O arquivo de exportação está no formato personalizado do pg_dump. Este é o formato mais flexível porque permite a reordenação da importação dos dados e dos elementos do esquema. Este formato também é comprimido por padrão.

 

-i índice

   Restaura a definição do índice para o índice especificado apenas.

 

-l

   Lista o conteúdo do arquivo de exportação. A saída deste comando pode ser usada com a opção -L para restringir e reordenar os itens que são restaurados.

 

-L arquivo_da_listagem

   Restaura apenas os elementos presentes no arquivo_da_listagem, e na ordem em que aparecem neste arquivo. As linhas podem ser movidas e, também, podem virar comentário colocando-se um ; no seu início.

 

-N

   Restaura os itens na ordem original de exportação. Por padrão, o pg_dump irá exportar os itens em uma ordem conveniente para o pg_dump, e depois salvar o arquivo de exportação em uma ordem de OID modificada. Esta opção substitui a da ordem de OID.

 

-o

   Restaura os itens na ordem de OID. Por padrão o pg_dump irá exportar exporta os itens em uma ordem conveniente para o pg_dump, e depois salvar o arquivo de exportação em uma ordem de OID modificada. Esta opção impõe a estrita ordem de OID.

 

-O

   Impede qualquer tentativa de restaurar o dono original do objeto. O dono dos objetos será o usuário conectado ao banco de dados.

 

-P nome_da_função

   Especifica o procedimento ou a função a ser restaurada.

 

-r

   Restaura os itens na ordem modificada de OID. Por padrão, o pg_dump irá exportar os itens em uma ordem conveniente para o pg_dump, e depois salvar o arquivo de exportação em uma ordem de OID modificada. A maior parte dos objetos é restaurada na ordem de OID, mas alguns elementos (por exemplo, regras e índices) são restaurados no fim do processo sem respeitar os OIDs. Esta é a opção padrão.

 

-R

   Durante a restauração do arquivo de exportação, o pg_restore usualmente necessita reconectar ao banco de dados vária vezes com nomes de usuário diferentes, para definir o dono correto dos objetos criados. Se isto não for desejável (por exemplo, se a intervenção manual for necessária para cada reconexão), esta opção proíbe o pg_restore requisitar reconexões (uma requisição de conexão em modo texto-puro, não conectado ao banco de dados, é feita emitindo o comando \connect do psql). Entretanto, esta opção é um instrumento bastante rudimentar, porque faz o pg_restore perder a informação sobre o dono, a menos que seja usada a opção -X use-set-session-authorization.

 

-s

   Restaura somente o esquema (definições dos dados), sem os dados. Os valores das seqüências são substituídos.

 

-S nome_do_usuário

   Especifica o nome do superusuário a ser usado para desativar os gatilhos e/ou definir o dono dos elementos do esquema. Por padrão, o pg_restore usa o nome do usuário corrente se este for um superusuário.

 

-t tabela

   Restaurar o esquema/dados da tabela apenas.

 

-T gatilho

   Restaurar a definição do gatilho apenas.

 

-v

   Especifica o modo verboso.

 

-x

   Proíbe a restauração dos privilégios de acesso (comandos GRANT/REVOKE).

 

-X use-set-session-authorization

   Normalmente, se ao restaurar um arquivo de exportação for necessário trocar o usuário corrente do banco de dados (por exemplo, para definir o dono correto do objeto), uma nova conexão ao banco de dados deve ser aberta, o que poderá requerer intervenção manual (por exemplo, senhas). Se for usada a opção -X use-set-session-authorization, então o pg_restore vai usar o comando SET SESSION AUTHORIZATION. Embora produza o mesmo efeito, requer que o usuário que for fazer a importação do banco de dados a partir do arquivo de exportação gerado seja um superusuário. Esta opção substitui a opção -R.

 

O pg_restore também aceita os seguintes argumentos de linha de comando para os parâmetros de conexão:

 

-h hospedeiro

   Especifica o nome da máquina onde o servidor está executando. Se o nome iniciar por uma barra (/), é considerado como sendo o diretório do soquete do domínio Unix.

 

-p porta

   Especifica a porta Internet TCP/IP, ou o soquete do domínio local Unix, onde o servidor está aguardando as conexões. O padrão para o número da porta é 5432, ou o valor da variável de ambiente PGPORT (se estiver definida).

 

-U nome_do_usuário

   Nome do usuário para se conectar.

 

-W

   Força a solicitação da senha. Deve acontecer automaticamente se o servidor requerer autenticação por senha.

 

 

Exemplos:

 

pg_restore -d bd_novo bd.tar